• lowcarb.net.br

Farinhas Low Carb?


FARINHAS LOW CARB


As farinhas ricas em carboidratos como farinha de trigo, farinha de arroz, fécula de batata, amido de milho e polvilho elevam os níveis de glicose no sangue, mais até do que quando consumimos bebidas adoçadas com açúcar.

Essa elevação da glicose vem acompanhada de doses elevadas de insulina, que é o hormônio que armazena gordura no corpo.

Quanto mais carboidratos consumimos, mais insulina será liberada na circulação sanguínea, mais gordura será armazenada em nosso corpo. Daí a importância de conhecermos as farinhas low carb.

Quais seriam farinhas low carb? Quais as farinhas que não elevam os níveis de glicose na circulação sanguínea?

Abaixo trazemos uma lista de farinhas low carb saudáveis que podem ser utilizadas em receitas de pães, bolos, massas, panquecas, tortas e qualquer outra receita que você queira preparar.

Claro que nada ficará com textura igual às massas feitas com trigo, porém ficarão gostosas, é uma questão de hábito.

Uma dica para ter bons resultados é sempre misturar mais de um tipo de farinha.


Farinhas low carb:

FARINHA DE AMÊNDOA

Torrar a amêndoa em uma assadeira, em forno pré-aquecido a 180º C., por aproximadamente 10 minutos.

Deixe esfriar e triture no liquidificador ou processador de alimentos.

Indicações de uso: por ser a farinha mais úmida dentre as farinhas low carb, é indicada para o preparo de:


- Bolos;

- Cupcakes salgados;

- Doces;

- Pão low carb

FARINHA DE AMENDOIM

Torre o amendoim em forno pré-aquecido a 180º C por 10 minutos.

Retire do forno, deixe esfriar e leve para bater no liquidificador até ficar na consistência de farinha.

Indicações de uso:

- Biscoitos e cookies;

- Bolos;

- Com iogurtes e frutas;

- Crepe;

- Doces;

- Muffins;

- Sucos;

- Tortas;

- Vitaminas.

FARINHA DE CASTANHA-DE-CAJU

Deixe as castanhas de molho de um dia para o outro (no mínimo 12 horas). Escorra a água e enxague.

Bata no liquidificador a castanha com a 4 xícaras de água filtrada, por aproximadamente 5 minutos.

Coe em um tecido limpo, deixando o líquido escorrer em um recipiente.

Esse líquido é o leite de castanha, guarde para usar em outras preparações.

O resíduo que ficou no pano, colocar em uma forma e levar ao forno preaquecido a 180º C, até secar bem.

Lembre-se de sempre verificar a aparência da farinha, o ideal é que ela fique bem douradinha, mas sem queimar.

O último passo é levar para bater no liquidificador por 2 minutos ou até obter uma consistência bem homogênea.

Indicações de uso:

- Biscoitos e cookies;

- Bolos;

- Crepe e panquecas;

- Doces;

- Tortas.

FARINHA DE CASTANHA-DO-BRASIL

Deixe as castanhas de molho de um dia para o outro (no mínimo 12 horas). Escorra a água e enxague.

Bata no liquidificador a castanha com a 4 xícaras (chá) de água filtrada, por aproximadamente 5 minutos.

Coe em um tecido limpo, deixando o líquido escorrer em um recipiente.

Esse líquido é o leite de castanha, guarde para usar em outras preparações.

O resíduo que ficou no pano, colocar em uma forma e levar ao forno preaquecido a 180º graus, até secar bem.

Lembre-se de sempre verificar a aparência da farinha, o ideal é que ela fique bem douradinha, mas sem queimar.

O último passo é levar para bater no liquidificador por 2 minutos ou até obter uma consistência bem homogênea.

Indicações de uso:

- Biscoitos e cookies;

- Bolos;

- Crepe e panquecas;

- Doces;

- Tortas.

FARINHA DE COCO

Triturar a polpa de coco seco no liquidificador ou processador, até obter uma farofa.

Levar para uma vasilha e acrescentar ¾ de xícara (chá) de água quente para cada xícara (chá) de coco triturado.

Deixar de molho por 20 minutos.

Coar em um pano limpo, torcendo para tirar o excesso de umidade.

Reserve o líquido para usar em receitas.

Espalhar sobre uma assadeira e levar para secar em forno pré-aquecido a 180º C, até que fique bem seco.

Mexa de vez em quando a assadeira para não queimar.

Depois de secar, levar ao liquidificador, e processar até obter uma farinha.

Guarde em pote fechado.

Indicações de uso:

- Bolos;

- Iogurtes;

- Massas salgadas;

- Pães;

- Panquecas;

- Salada de frutas;

- Salada

FARINHA DE NOZES

Triturar as nozes (crua ou torrada) no liquidificador até obter a consistência de farinha.

Indicações de uso: É uma farinha que proporciona uma textura grossa e úmida. Pode ser usada no preparo de:

- Bolos;

- Cupcake;

- Doces em geral;

- Massas em geral.

- Pães;

FARINHA DE SEMENTE DE LINHAÇA

Triturar as sementes de linhaça dourada ou marrom no liquidificador até obter uma farinha.

Para evitar a oxidação do ômega-3, armazene em um recipiente fechado, de cor escura, na geladeira ou no congelador.

Uma opção é embrulhar o recipiente em papel alumínio.

Indicações de uso:

- Bolos;

- Pães;

- Sucos e iogurtes;

- Tortas;

- Vitaminas.

FARINHA DE BERINJELA

Lavar 1 kg de berinjelas e cortar em fatia bem finas.

Colocar as fatias em uma forma e levar ao forno preaquecido a 180° graus, até ficarem bem desidratadas. Cuidado para não queimar.

Deixar esfriar e triturar no liquidificador até obter uma farinha fina.

Rendimento: 1 kg de berinjela para obter 100 gramas da farinha.

Indicações de uso:

- Bolos;

- Cookies;

- Pães;

- Sucos e vitaminas;

- Tortas.

FARINHA DE BANANA-VERDE

Descascar as banana-verdes, e cortá-las em fatias.

Colocar em uma forma e levar ao forno, em temperatura baixa, até ficarem bem secas.

Retire do forno, deixe esfriar um pouco e leve para bater no liquidificador até obter uma farinha.

Indicações de uso:

- Bolos;

- Cookies;

- Iogurte;

- Pães;

- Panquecas;

- Sopas;

- Sucos;

- Vitaminas e sucos.

FARINHA DE MARACUJÁ

Leve a parte branca da casca do maracujá (sem a polpa e a casca amarela) ao forno preaquecido a 180º graus, até ficarem bem secas.

Deixe esfriar um pouco e triture no liquidificador até obter uma farinha homogênea.

Indicações de uso:

- Biscoitos;

- Bolos;

- Doces em geral;

- Em sucos, vitaminas e na água;

- No iogurte;

- Pães;

- Tortas.

FARINHA DE FRANGO

Cozinhar o peito de frango em panela de pressão até desmanchar.

Desfie o frango e leve para bater no liquidificador ou no processador até virar uma massa.

Adicionar o frango em uma frigideira grande (de preferência antiaderente), e ir mexendo, até evaporar toda a umidade.

O ideal é que se forme uma massa solta e levemente dourada.

Depois, triture o frango no liquidificador para obter uma farinha mais fina.

Passar por uma peneira fina.

Caso sobre mais farinha na peneira, passe novamente no liquidificador e peneire novamente até finalizar toda a farinha. Perfeita para ser feita com sobras de frango cozido ou assado.

Indicações de uso:

- Crepe;

- Massas em geral;

- Pães;

- Panquecas;

- Tortas.

FARINHA DE SEMENTE DE ABÓBORA

Lave as sementes para retirar a polpa, deixando em seguida de molho por 5 horas.

Escorra a água e espere secar por 1 hora.

Leve ao forno médio, mexendo de vez em quando.

Quando estiverem torradas, retire do forno e deixe esfriar.

Bata no liquidificador até obter uma farinha.

Indicações de uso:

- Usar associada com outras farinhas.

Outras dicas bem úteis:

  • Sempre deixar as oleaginosas de molho, por pelo menos 12 horas;

A água do molho não contem nutrientes, apenas fatores antinutricionais que passam da oleaginosa para a água, por isso deve ser descartada;

Nota: quando estão úmidas, as oleaginosas ficam maleáveis e mais fácil de serem picadas ou laminadas.

Seque-as em toalha de papel e em seguida, leve-as ao forno, em temperatura de 180° C, aproximadamente, para terminar de secar.

  • Para remover a pele, deixar a oleaginosa de molho por 5 minutos em água quente;

  • Sempre misture mais de um tipo de farinha para obter resultados melhores;

  • Compre as oleaginosas a granel em lojas especializadas em produtos naturais, têm preços bem melhores;

ARMAZENAMENTO

  • As oleaginosas devem ser armazenadas sob-refrigeração, pois diminui a oxidação de suas gorduras e também o envelhecimento, evitando o cheiro e sabor de gordura rancificada;

  • O pistache, conforme vai envelhecendo, vai perdendo a tonalidade verde escuro. Portanto, a maneira correta de guardá-lo é no freezer, em um saco plástico próprio para congelamento (plástico PP);

  • Todas as oleaginosas podem ser congeladas, desde que não sejam salgadas, pois o sal durante o congelamento irá amolecer as suas fibras, deixando-as borrachudas;

  • As farinhas ficam melhor armazenadas em potes de vidros, previamente esterilizados;

  • A semente de linhaça deve ficar protegida da luz e do calor, para evitar a oxidação do ômega-3. O ideal é que seja armazenada sob-refrigeração, até mesmo no congelador, em pote escuro ou embrulhado em papel alumínio.

E para terminar o post, uma tabela com teor de carboidrato por 50 g de farinha, vamos comparar?

Amêndoas: 9,90g carboidratos

Avelãs: 8,35g carboidratos

Castanha-de-caju: 15g carboidratos

Castanha-do-Brasil: 6,15g carboidratos

Chia: 20g carboidratos

Farinha de banana-verde: 47,50g (o amido resistente da banana não é absorvido pelo organismo)

Farinha de berinjela: 27,50g carboidratos

Farinha de trigo: 38g carboidratos

Fécula de batata: 40g carboidratos

Feijão branco: 30g carboidratos

Gergelim: 11,70g carboidratos

Grão-de-bico: 11,95g carboidratos

Linhaça dourada: 14,45g carboidratos

Polvilho doce: 45g carboidratos

Quinoa: 34,45g carboidratos

Semente de girassol: 9,40g carboidratos

Conta pra gente, qual das farinhas low carb não pode faltar na sua cozinha?

Até o próximo post low carb!



Equipe Receitas Low Carb

www.lowcarb.net.br

Se gostou, compartilhe!


#farinhaslowcarb #lowcarb #receitaslowcarb

0
  • receitas para dieta low carb
  • receitas para dieta low carb
  • receitas para dieta low carb